Rafael Barreiros

Existe um grupo de aproximadamente 4% da população que sofre da doença chamada Amusia, que é a surdez tonal. Em outras palavras, essas pessoas não reconhecem as diferenças entre as melodias ou os intervalos musicais.

Alguns relatos relatos dizem, que ouvir música pra elas é a mesma coisa que ouvir um gato miando, ou alguém batendo numa lata.

A beleza da música, das melodias e acordes, não existe para essas pessoas. Che Chevara é um personagem famoso que sofria dessa doença. Se pra você, ouvir música é apenas uma mistureba de sons de canos batendo e gatos miando, procure um profissional de Fonoaudiologia de sua confiança e faça um teste.

Veja bem, não estou falando da surdez “normal” que as pessoas já conhecem, estou falando de incapacidade que alguém não possui de distinguir melodias e tons.

Existem alguns testes de Amusia na internet, mas recomendo uma visita ao Fono ou fale com o seu Otorrino primeiro, se preferir.Mas você não se encaixa nesse pequeno grupo, certo? A sua desafinação sabe que nome tem?

“Falta de piano” na sua vida! É falta de violão, flauta, sax, coral, coro, banda ou qualquer outro nome que você quiser dar. Faltou educação musical! Simplesmente você não foi exposto ao treinamento melódico.

Me dê uma raquete de tênis e prepare-se pra morrer de rir. Sabe porque? Eu NUNCA joguei tênis na vida! Nem sei como segurar a raquete direito.

Cantar desafinado é parecido com jogar tênis. Diz pra mim quanto treinamento melódico ou até rítmico você fez na vida? Foi numa escola de música ou foi na banda da igreja?

Tanto faz se foi seu pai que tocava e cantava com você, mas o que conta é ser exposto a esse treinamento constantemente e o mais cedo possível.

Os alunos com cara de tristeza me perguntam: Mas ainda dá tempo?

Sendo 100% sincero com você, dá sim.

Tudo vai depender de 3 coisas: paixão, persistência e constância.

Continue cantando!

Compartilhe com seus amigosShare on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter

Aula de canto online

Artigos relacionados

Artigos relacionados

Clique aqui
Converse comigo
Olá. Bem vindo a Rafael Barreiros.
Como posso lhe ajudar?